Home NOTÍCIA DE POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA Inclusão educacional de pessoas com autismo em idade escolar regular

Inclusão educacional de pessoas com autismo em idade escolar regular

Relato sobre entrevista de rádio sobre a inclusão educacional de pessoas com autismo em idade escolar regular

Apresento a vocês o relato sobre a entrevista de rádio que foi realizada em 06/02/2020. O assunto abordado no dia foi INCLUSÃO EDUCACIONAL DE PESSOAS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR, tendo como entrevistados o professor da Unipampa, Campus Itaqui, Paulo Silveira, e os discentes do curso Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia (BICT), Pamela Piardi e Taylan Alderette. Inicialmente, foi explicado o básico sobre o assunto abordado. Logo depois, foram elaboradas algumas perguntas pelo entrevistador, cujo nome não pedimos permissão para citar. De acordo com a Rádio, cada um demonstrou relevância por determinada parte do projeto. Segue a publicação da rádio nas próximas linhas: Para o professor Paulo Silveira, a inclusão continua sendo um desafio: "um deles é em relação ao conhecimento que as pessoas têm. É um aprender fazendo. Queremos que a comunidade compreenda melhor e possa acolher esses alunos".

A estudante Pamela Piardi acredita que as dificuldades começam com a aceitação na própria família: "Quando tu aceitas essa criança, tu sabes que vai ter que mudar o teu cotidiano. Ela vai precisar de alimentação especial, cuidado especial, e só vai ter isso a partir da família. O medo é natural, mas tem que ser enfrentado. Os pais têm que se orgulhar dos filhos autistas e levantar essa bandeira".

Já o estudante Taylan Alderette entende que as dificuldades existem porque falta conhecimento sobre o autismo: "É um estudo que está começando. A interação precisa ter um equilíbrio entre a parte clínica, a família e a escola. Tivemos contato com professores que nos relataram as dificuldades. Alguns pais não aceitam". A entrevista foi de suma importância para a Unipampa e, principalmente, para o BICT. Tudo isso mostra que a interdisciplinaridade está ganhando força na Universidade e, assim, os discentes podem buscar uma educação superior melhor para suas formações.