Home REPORTAGEM Álcool em gel 70% contra o novo Coronavírus

Álcool em gel 70% contra o novo Coronavírus

O novo agente do coronavírus (SARS-CoV-2) foi descoberto em dezembro de 2019 após casos de infecções respiratórias registradas na China. Esse vírus provoca a doença chamada de COVID-19. Em março de 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) a decretou como pandêmica. Com esse decreto, surgiu uma série de recomendações em relação aos cuidados relacionados à saúde humana para evitar o contágio e a disseminação do vírus. Um dos cuidados é a utilização do álcool 70% para assepsia e higiene das mãos, com o intuito de eliminar os microrganismos presentes na pele e superfícies.

A eficácia dos produtos de higiene das mãos à base de álcool é afetada por diversos fatores, incluindo o tipo de álcool (por exemplo: etanol, isopropanol), a concentração, o tempo de contato, o volume usado e se as mãos estão molhadas ou secas quando o álcool é aplicado. A concentração de álcool é crucial para garantir a eficácia da solução.

A desnaturação da proteína é pré-requisito para soluções aquosas de etanol apresentarem atividade antimicrobiana. A entrada de álcool na membrana celular do microrganismo (bactérias, vírus, fungos), facilitada pela desnaturação das proteínas, é atribuída à água presente na solução. Além disso, a água retarda a volatilização do etanol, permitindo maior tempo de contato entre álcool e microrganismos, promovendo uma desinfecção mais eficiente da pele ou mãos.

A concentração da forma antisséptica etanol 70% ‒ mais eficaz e disponível para compra (70 INPM) ‒ é corretamente expressa como porcentagem em massa (m/m), uma vez que a massa não é afetada por variáveis como temperatura, gravidade específica e/ou interações intermoleculares. No entanto, vários produtos que expressam o conteúdo de etanol, como porcentagem em volume (v/v), podem ser encontrados no mercado (70° GL). O etanol a 70% (v/v) é equivalente a 60,8% (m/m) à 25 °C. Isso significa que, se uma solução de etanol a 70% (v/v) for preparada, ela não apresentará a quantidade de etanol que fornece a maior atividade antisséptica.

Essa falta de padronização nas expressões de concentração pode levar a erros nas concentrações finais, causando uma redução na eficiência das soluções. Em um momento de pandemia mundial, todo cuidado nas ações de prevenção pode auxiliar na contenção da propagação do vírus. Portanto, pelas razões apresentadas, destacamos a importância da utilização do álcool na concentração correta para eliminar o microrganismo, bem como, indicar a maneira correta de expressar as concentrações de alcoólicas.