Home NOTÍCIA DE POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA Opção de mídia da população de Itaqui para obter informações sobre a Covid-19

Opção de mídia da população de Itaqui para obter informações sobre a Covid-19

Grupo de pesquisa sobre impacto social do coronavírus traz informações sobre os veículos de comunicação que os itaquienses utilizam como principal fonte de informação. E-mail: [email protected]

O Grupo de Pesquisa Sobre Impacto Social do Coronavírus – Covid-19 (GPISC)–, do Campus Itaqui da UNIPAMPA, apresenta informações e análises iniciais sobre parte de pesquisa realizada por meio de informações coletadas nas redes sociais.

Pesquisa nacional realizada pelo Instituto Datafolha (MARQUES, 2020) apontou que emissoras de televisão e jornais lideravam o índice de confiança em informações sobre o coronavírus. Motivado em saber se essa informação era condizente com a realidade da população de Itaqui – RS, o GPISC, do Campus Itaqui da UNIPAMPA, incluiu em seu questionário, aplicado por meio de redes sociais, duas perguntas relacionadas a esse tema: “A respeito do coronavírus (Covid-19), você costuma se informar principalmente através de ... (opções)?” e “Você pensa que as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) são ... (opções)?”.

O total obtido de respostas procedentes de residentes em Itaqui foi de 365. Para a primeira pergunta, obtiveram-se as respostas da Tabela 1.

Tabela 1- “A respeito do coronavírus (Covid-19), você costuma se informar principalmente através de ...”

Tabela 1
Fontes Números Percentual
Canais de televisão 181 49,59%
Sites da internet 116 31,78%
Redes sociais 53 14,52%
Emissoras de rádio 13 3,56%
Jornais e revistas impressos 2 0,55%
Total 365 100%

A preponderância da televisão foi notável por atingir praticamente metade da amostra de Itaqui. Esse fato é condizente com a pesquisa realizada em âmbito nacional pelo Datafolha. Sobre esse assunto, a matéria “Professores analisam pesquisa Datafolha sobre confiança na imprensa convencional” (UFJF NOTÍCIAS, 2020) relata: “segundo uma das opiniões, essa confiança se mostra mais abrangente porque foi tecida ao longo dos últimos 70 anos; é um pacto de confiança que tem sido fortalecido...; não é só falar, é falar e escutar as pessoas; a pandemia mostra o jornalismo como lugar de referência; a especialidade do jornalismo é saber identificar onde está a melhor informação, mais precisa e correta, e trabalhá-la de modo a torná-la mais acessível para um grande número de pessoas”. Ainda segundo a matéria, em outra avaliação: “no caso da TV há uma variável interveniente que é a sua quase universalização no Brasil; não há nenhum outro meio de comunicação com o nível de alcance em quase totalidade dos lares brasileiros”. Na mesma perspectiva, Salgueiro (2020) relata que: “Theodor Adorno (filósofo e sociólogo alemão), nos anos 1960, no artigo ‘Televisão e formação’, sinalizava: ‘existe uma espécie de função formativa ou deformativa operada pela televisão como tal em relação à consciência das pessoas, conforme somos levados a supor a partir da enorme quantidade de espectadores e da enorme quantidade de tempo gasto vendo e ouvindo televisão’ “. Tais citações confirmam a enorme influência da televisão e de seu papel sobre a consciência dos cidadãos através do tempo.

Com relação aos jornais, estão diluídos em duas opções: a impressa, que apresentou mínima popularidade; e a diluída em sites. Os sites, que abrangem jornais, portais, blogs, universidades, instituições variadas, institutos e outros, constituíram o segundo maior grau de referência para a população itaquiense.

Chama a atenção que os respondentes, mesmo sendo usuários de redes sociais, não apontaram como fonte principal de informações essas redes. Somente 14,52% afirmou se referenciar nelas. Isso é coerente com o resultado da pesquisa nacional do Instituto Datafolha (MARQUES, 2020), na qual consta que: “Em posição oposta à imprensa profissional estão os conteúdos que vêm de WhatsApp e Facebook. Nas duas plataformas, apenas 12% dizem confiar em informações sobre o coronavírus”.

Sabe-se que em Itaqui, cidade de 38.000 habitantes, grande parte da população tem por hábito ouvir emissoras locais de rádio. No entanto, possivelmente por tratar-se aqui de um tema de relevância mundial, com cenários de situações em diferentes países, a televisão tenha adquirido seu maior status, seguida de sites da Internet.

Com relação à segunda pergunta (sobre fidedignidade das informações), os residentes em Itaqui manifestaram-se da seguinte forma.

Tabela 2
Natureza das notícias Números Percentual
Reais, verdadeiras 287 78,63%
Alarmistas, exageradas 60 31,78%
Redes sociais 53 16,44%
Mal-intencionadas 18 4,93%
Falsas 0 0%
Total 365 100%

A população itaquiense demonstrou forte confiança na veracidade das notícias e informações que recebe sobre coronavírus dos meios de comunicação, na medida em que somente 21,37% considerou tais notícias alarmistas, exageradas ou mesmo mal-intencionadas. Embora com esse percentual crítico quanto ao “teor” das informações, ninguém, entretanto, apontou-as como falsas.

Esses são resultados e análises iniciais de parte da pesquisa que teve por metodologia a aplicação de um questionário por meio de redes sociais. O conjunto de dados visa realizar um diagnóstico da percepção social da população itaquiense sobre o coronavírus, bem como da sua realidade e condições de vida nesta época crítica de pandemia.

Referências Bibliográficas  

MARQUES, J. TVs e jornais lideram índice de confiança em informações sobre coronavírus, diz Datafolha. Jornal Folha de São Paulo, São Paulo, 23 de mar. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/03/tvs-e-jornais-lideram-indice-de-confianca-em-informacoes-sobre-coronavirus-diz-datafolha.shtml>. Acesso em: 15 abr. 2020.

 

SALGUEIRO, W. Nova canção do exílio, de Luis Fernando Verissimo. Resenha. Revista Rascunho: o jornal de literatura do Brasil, n. 238, p. 18, fev. 2020.

 

UFJF NOTÍCIAS. Professores analisam pesquisa Datafolha sobre confiança na imprensa convencional. Juiz de Fora – MG, 24 mar. 2020. Disponível em: https://www2.ufjf.br/noticias/2020/03/24/professores-analisam-pesquisa-datafolha-sobre-confianca-na-imprensa-convencional/. Acesso em: 15 abr. 2020.